80%
Você está ouvindo: Rádio PWZ

HOME / Notícia / Joaquim Caratti, a paixão pela música e futebol

Joaquim Caratti, a paixão pela música e futebol

09/08/2019
Araraquara / SP
Jonas Bezerra
Foto: Jonas Bezerra

“Minha vida é um livro aberto”, diz ele durante entrevista para o Portal Esporte & Lazer, em sua indústria localizada no Melhado, em Araraquara. Empresário Joaquim Luiz Caratti, araraquarense de 80 anos de idade, tem uma história de vida incrível – uma história que inicia lá nos idos Anos de 1940, na Av. Cristovão Colombo, entre as ruas São Bento e Padre Duarte, no centro da cidade.

Aos quatros anos de idade o seu gosto musical começava a aflorar com a música “Asa Branca”, do saudoso Luiz Gonzaga. “Ficava sempre cantando esta música até que a professora pediu aos meus pais para eu cantar numa festa junina. Fiz uma imposição a eles: ‘Eu canto, mas eu quero uma cabrita’. Num instante, a minha mãe fez a minha roupa”, conta sorrindo o filho de Maria Aurora Sedenho Caratti e Servilho Caratti.

Daí iniciou a sua carreira musical. Integrou por 21 anos a banda Fórmula 9 se apresentando por toda região e interior do Estado.

Depois de vários longos anos longe do palco, em 1987, num evento de um clube rotariano da cidade, Joaquim foi convidado para dar uma “palha” pelo então cantor Jean Carlos. O sucesso foi tão grande que ele fora convidado pelo cantor para gravar o LP (long-play).

Perfeccionista e sonhando com um projeto musical de qualidade, ele e Jean Carlos procuraram o maestro Valter Arídio para contratação dos músicos que comporiam a orquestra. Foi então que, depois de um ano, surgiu o CD “Pedra Preciosa”, com canções clássicas da música brasileira, sob o pseudônimo Luiz Caratti. Nele havia ainda duas canções de sua autoria: Rosa de Prata, dedicada à sua primeira esposa Rose Mary, e “Zombei do Amor”.

Paralelo à sua carreira musical, Joaquim começou a trabalhar cedo. O seu primeiro emprego foi na fábrica de cilindros de José Manoel e de seus filhos Juca e Antônio. Depois integrou a Escola Profissional Ferroviária (EPF), sendo o primeiro aluno entre os mais de 150 alunos.

“Era uma escola de primeira. Você tinha quatro de aulas teóricas e quatro horas de aulas práticas durante três anos”, ressalta Joaquim que depois foi trabalhar na Chevrolet de Affonso Graciano. Em seguida, trabalhou mais 12 anos da EFA (Estrada de Ferro Araraquara) até montar a sua empresa, Indústria de Pistões Rocatti, em 1965, referência mundial no setor.

O futebol é matemática

Em 1978, aos 39 anos, despertou o interesse pelo futebol, esporte que até então abominava. Com desdém, durante uma partida de futebol num terreno esburacado dentro de sua fábrica, observou a precisão de um lançamento de bola que o encantou e pensou: “Isso é matemática”. Começou a treinar em sua própria casa antes de se aventurar nos gramados.

A partir daí, o futebol passou a fazer parte de sua vida. Construiu em sua chácara dois campos e montou uma equipe em sua empresa.  Nos momentos de lazer, o futebol era sua paixão. “Se tivesse conhecido o futebol antes, não entraria na música”, diz.

Neste caminhada de mais de 40 anos nos campos jogou com vários craques do futebol brasileiro. Entre eles, alguns jogam contigo até hoje, como Jolimar e Marinho Rã.

Neste último sábado (3), aos 80 anos de idade, Joaquim Luiz Caratti fez a sua última partida de futebol. Equipe Rocatti jogou com Bayer Ometto, de Américo Brasiliense.

Uma despedida digna de uma saga de um araraquarense que veio da colônia da Usina Tamoio e construiu uma grande empresa na cidade, foi um amante da música encantando corações e um apaixonado por futebol.

E foi no futebol que construiu a sua segunda família, fez grandes amizades e recebeu o carinho de todos com quem dividiu as quatro linhas. Nossa singela homenagem ao pai de Carlos, Rosana, Adriana, Luiz Augusto, Patrícia e Fabrício.

Rocatti x Seleção Brasileira de Máster

Neste sábado (10), a partir das 10h, no Campo da Rocatti, haverá um grande evento esportivo. A equipe Rocatti jogará contra a Seleção Brasileira de Máster. Grandes craques estarão em campo para uma festa, uma confraternização esportiva.

O jogo de confraternização será aberto ao público!

Comentário(s) - 0

Seja o primeiro a comentar.